O que não fazer no Instagram

Todo mundo quer ter uma marca reconhecida, que passe a sensação de confiabilidade pro consumidor, que seja divertida, facilmente identificável e que traga conteúdos relevantes, certo? 

Pois é, para chegar nesse patamar, é preciso investir muito tempo – seja no planejamento, seja na contratação de profissionais ou seja simplesmente aprendendo a fazer você mesmo essa decolagem da página. 

Então vamos te ajudar a cortar um pouquinho do caminho com algumas dicas do assunto que não quer calar: o que não fazer para ter uma página de sucesso no Instagram! Dá uma olhada nos tópicos abaixo: 

A user on Instagram social network in L’Aquila, Italy, on October 3, 2020. Today Facebook’s program Instagram turns ten years from his launch. (Photo Illustration by Lorenzo Di Cola/NurPhoto via Getty Images)
  1. Criar conteúdos aleatórios

A gente sabe que de vez em quando aparece um meme novo que é a cara da sua marca e que não dá pra deixar passar. Mas você não precisa surfar em todas as ondas. 

Fazer um planejamento mensal, quinzenal ou semanal – e isso quem decide é você! – facilita a sua vida e te dá um panorama bem mais específico de para onde a marca está e para onde quer ir. Com ele, você consegue visualizar se seus produtos e serviços estão sendo apresentados o suficiente, se os textos estão repetitivos e até se a proporção venda/engajamento está alinhada com sua expectativa. 

Não precisa escrever em pedra, mas ter um norte no Instagram vai servir tanto para aqueles dias caóticos em que você não faz ideia sobre o que postar, quantos nos dias em que quer se debruçar sobre números e conteúdos. 

  1. Atirar pra todos os lados

Você não precisa de um público ultra-mega-específico, claro, mas ajuda saber mais ou menos com quem está falando. Por isso, muitos especialistas indicam a criação de uma persona, que nada mais é do que alguém com as principais características do público que quer atingir no Instagram.

Por exemplo, se a sua marca é de roupas femininas para ginástica, você pode inventar uma mulher, de 35 anos, chamada Patrícia, que faz pilates 3 vezes por semana e tem dois filhos. Assim, toda vez que estiver em dúvida sobre o tom do post, é só lembrar se a Patrícia se identificaria. Não precisa ser exatamente isso, mas ter essa noção e checar essas informações no engajamento da página ajudam muito. 

  1. Ser extremamente específico ou muito genérico nas hashtags

Não tem problema nenhum usar uma ou duas hashtags que falam sobre seu ramo de atuação ou produto principal, mas colocar só palavras genéricas não vão filtrar em nada seu público no Instagram.

A mesma coisa acontece com palavras muito específicas. Então, se você tem um pet shop em Santos, por exemplo, tente unir o melhor dos dois mundos em hashtags curtas, mas efetivas, como #petshopsantos, #taxidogsantos ou #banhoetosa. Com o passar do tempo, é bom ir checando quais são as hashtags que estão dando certo ou errado, quais têm mais seguidores ou menos. 

  1. Se acomodar 

Não precisa mirar na lua pra acertar nas estrelas, rs. Mas é bom manter uma rotina de acompanhar os resultados da página, garantir a qualidade do atendimento e sempre oferecer algo de novo para os seus clientes. Se estiver precisando de ajuda ou tiver alguma ideia e quiser conselhos sobre como fazer com que elas aconteçam, você sempre pode contar com nosso time. 😉 Estamos aqui pra te ajudar a atingir o patamar que quiser pra sua marca.  

Em resumo, entenda quem é seu público e faça conteúdos para eles, ao invés de se basear em gostos pessoas ou tendências passageiras. Vá com calma, acompanhe o que está dando certo e continue investindo na sua página! 

Você também pode ver mais dicas do Instagram no nosso YouTube, clicando aqui.

Deixar uma resposta